segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Deus não está morto - O FILME

  1. God's Not Dead é um filme de drama cristão de 2014,
  2.  dirigido por Harold Cronk e estrelado por Kevin Sorbo, 

  3. Shane Harper, David A. R. White e Dean Cain.
  4. Data de lançamento21 de março de 2014 (EUA)
  5. Duração113 minutos
  6. Lançamento em DVD5 de agosto de 2014 (EUA)



Por indicação de uma amiga fiquei sabendo do filme "Deus não está morto" estrelado por Shane Harper, um dos atores que fez parte da série "Boa sorte, Charlie!" do Disney Channel. 
O filme conta a história de de Josh Wheaton , um universitário do curso de direito que tem em sua grade a matéria de filosofia, na qual seu professor, interpretado por Kevin Sorbo, em seu primeiro dia de aula, pede para que seus alunos escrevam em forma de documento assinado a frase " Deus está mortopara "acelerar o processo" da discussão da existência ou não de Deus.
Josh, por ser cristão , é o único que se nega a assinar o papel, o seu professor ateu debocha de sua decisão, mesmo assim Josh não desiste de sua decisão de não escrever esse documento. Então seu professor, como forma de tentar humilha-lo diz que o deixará falar durante 20 minutos durante 3 aulas, para provar que Deus existe. Josh ao sentir em seu coração que Deus precisava ser defendido, segue o seu rumo pesquisando formas de provar que Deus não está morto. Apesar dos obstáculos, pode perder parte de sua nota, o conselho de desistir da matéria dados pelos seus pais e pela sua namorada, ele sofre para provar a existência de Deus mas ele persegue seu objetivo, encontra apoio no Reverendo de sua Igreja que apenas diz para que ele não tente ser esperto, só fale a verdade.
O filme mostra várias histórias paralelas a de Josh, que se passam em situações diferentes, mas com pessoas que estão interligadas.
Nesse filme a beleza se encontra na mensagem de esperança, na morte, na perseverança, em jovens que testemunham em favor de Jesus Cristo. Uma das histórias que mais me tocou, além da de Josh, obviamente, foi a história de Ayisha foi a que mais me emocionou, de origem mulçulmana, ela se converte escondida da sua família, mas quando o pai descobre ela não nega que Jesus é seu Senhor e salvador, e assim e expulsa de casa, esse amor entre os jovens para Jesus existe nessa proporção? Se sim, ALELUIA porque é bem difícil a situação dela e foi a mais chocante do filme. Na minha opinião a história mais extremista. 
 Deus Está vivo, prova da argumentação de Josh. Prova no dia a dia.
Filme tocante, muito bonito e traz uma esperança de que a juventude e o espírito santo podem trazer Deus para o coração das pessoas

sábado, 20 de setembro de 2014

Poliana

Poliana é um livro que mexeu demais comigo.

Poliana é filha de um pastor e órfã de mãe, e logo no começo livro descobrimos que ela acabou de ficar orfã de pai também. E está indo morar com a sua tia, irmã de sua mãe, que é uma mulher solitária e amargurada, que só pensa de dinheiro e regras da sociedade. Poliana por viver a vida toda apenas por doações sempre foi pobre e teve uma vida regrada, ao saber que ai morar com a tia rica, ficou muito feliz e agradecida pois estaria indo ter tudo que ela sempre quis, um quarto lindo, vida boa, boas roupas, comida farta e não é bem isso que ela encontra quando chega lá.
Recebida por uma empregada ela encontra uma tia que mal quer ve-la que a põe no porão e não concede aos desejos da menina, você acha que Poliana se abala? NADA disso!!
Poliana joga o jogo do contente. Exatamente O JOGO DO CONTENTE. Jogo esse inventado por seu pai e que consiste que qualquer coisa que aconteça com você tente achar sempre um lado bom, sempre tentando ver o melhor de tudo que acontece na sua vida.
E ela com essa percepção de mundo vai mudando a vida de toda aquela cidade, e a sua visão também, leitor.

A mim tocou bastante, principalmente, porque eu sou bem reclamona sabe?
hahahaha SOU MESMO! E pra mim é bem difícil me controlar para ter mais paciência e entender que o sofrimento serve sempre pra alguma coisa, mas eu também não reclamo só do sofrimento eu reclamo bastante de tudo, e o pior: costumo não fazer muita coisa para sanar o problema do qual eu estou fazendo uma reclamação.

Então esse livro serviu para que eu enxergasse esse meu problema e que começasse a jogar o jogo do contente, juro que estou perdendo, mas juro também que estou tentando jogar cada vez melhor esse jogo, e conseguir olhar sempre o lado melhor das coisas, da vida. Você fica menos infeliz.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

A sua cruz será a graça de Deus na sua vida

Dia 14 de Setembro - Dia de Exaltação da Santa Cruz
Esta semana aconteceu o dia da exaltação da Santa Cruz.
Ai vc me pergunta:
"MAS O QUÊEEEEE?? Exaltação a esse simbolo de sofrimento de Cristo e de tantos outros???"
SIM!! Pois, foi por meio dela que Cristo nos salvou, e por meio dela que é que somos lembrados que o sofrimento dele nos salvou e nos deu o direito de usufruirmos da vida eterna.

E as cruzes do dia a dia? Usa uma cruz no peito? Por que?

A cruz serve pra nos lembrar que o mesmo símbolo do sofrimento foi simbolo de salvação; então fique atento, nas cruzes da sua vida não reclame do que está acontecendo, sei que não é fácil e que temos que sim que pedir em oração ajuda para conseguirmos carregar nossa cruz, mas nunca pedir pra deixar a cruz mais leve, a cruz representa o caminho que temos que perpassar para chegarmos a glória. 
Nos momentos desesperados podemos até perguntar por que estamos passando por isso, que não merecemos, ou até mesmo achar que se trata de um castigo.
MAS NÃO!!
Em sua glória DEUS só mostra que você não é dono da sua vida, põe a sua vida na mão de Deus e ele te guiará, ele não tornará sua cruz mais leve, mas honrará a tua perseverança e serás recompensado. Aprendizado! Com as cruzes que do mesmo lugar de onde vem nosso maior sofrimento virá a nossa maior glória.

O Senhor seja louvado sempre
A benção dele esteja sobre você.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Os 13 porquês - Jay Asher

Hannah Baker se matou, esse é um fato já conhecido, então Clay Jensen e nós vamos descobrir juntos os 13 motivos/culpados por isso acontecer.


Sim esse é o começo da história!
O que leva a uma adolescente a cometer suícidio?
Você sabe?
Eu sei. Quase fiz uma vez...

Então, a leitura foi um pouquinho mais pessoal do que eu achava que seria, Hannah grava 13 fitas e vai passando entre " os 13 culpados " pela sua morte o que essas pessoas fizeram (ou não fizeram) para que ela chegasse a esse ponto.
O livro vai fazer você virar páginas compulsivamente, em narrativa dupla "nós ouvimos" (lemos) o que Hannah disse nessas 7 fitas junto com Clay Jensen que até então não faz ideia do porque ele recebeu essas fitas, e os pensamentos dele enquanto ela conta a história sua história.
No final da minha versão tem uma entrevista com Jay Asher em que ele fala que a inspiração para tratar do tema suicídio veio de uma parente dele que tentou se matar, mas sobreviveu, com o objetivo que as pessoas comecem a prestar atenção nessa pessoa, e identificar os sinais, pois as vezes o que a pessoa está querendo é apenas alguém que a salve de si mesma, que faça valer a pena continuar vivendo.

O pensamento de um suicida em potencial é muito próximo de um pensamento de uma pessoa deprimida. As pessoas acham que os deprimidos são tristes. Não! Eles simplesmente não tem vontade de viver, são inertes, nada excita e nada broxa a pessoa deprimida, como se a vida fosse cinza, inodora e insípida. Mas nem todo deprimido pode ser um suicida ( até por não ter motivação para terminar com a própria vida, que seria um ato de coragem que uma pessoa inerte não tem), e os suicidas nem sempre são pessoas deprimidas, eles são apenas pessoas desesperadas.

Voltando ao livro de Jay Asher, ao ouvir/ler as primeiras fitas de Hannah comecei a achar os motivos dela meio bestas como se fosse apenas de uma menina mimada,(na entrevista no final do livro, Jay Asher diz que a pesquisa que ele fez pra montar os 13 motivos foi com as mulheres da família dele e situações que incomodam as meninas no ensino médio, talvez tenha sido isso que eu achei meio besta e superficial nos primeiros motivos), mas depois de algumas fitas as situações ficam um pouco mais sérias, e me fizeram lembrar o porque eu quis me matar uma vez... Efeito Bola de Neve.

As 13 pessoas que foram motivos para ela se matar fizeram parte do efeito bola de neve na vida de Hannah, talvez o que a pessoa tenha feito não seja realmente sério a ponto de alguém querer se matar, mas desencadeou outras situações, veio em um momento que foi a gota d'água, ou simplesmente ao ver um grito de socorro, não fez nada.

As vezes o futuro suicida só precisa, e as vezes é a unica coisa que precisa, é que alguém preste atenção, que se importe.

Ao longo do livro, nos comentário de Clay ao ouvir as fitas, vemos o quanto ele ficou angustiado, que depois do acontecido ele pensou  " Os sinais estavam ali, ela precisava de ajuda e eu não fiz nada". Esse é o sentimento que paira predominantemente no livro, o sentimento de frustração das personagens por não terem conseguido ajudar, juro que sofri mais com os comentários angustiados de Clay do que com as justificativas de Hannah, apesar de entender e me identificar com eles.

O final foi bem inteligente. E satisfatório.
Gostei bastante da história, apesar de ser triste e angustiante, tocou num assunto de uma maneira que mexeu comigo. Leiam se possível, por favor e preste atenção as pessoas a sua volta.

4 estrelas.

Acompanhe os vídeos no meu canal do Youtube
https://www.youtube.com/user/CavalcanteDayane/

Me adicione no Skoob
http://www.skoob.com.br/usuario/791900-daay




domingo, 14 de setembro de 2014

Era uma vez a minha primeira vez e Fala sério, Mãe!

Digo logo que gostei mais do " Era uma vez minha primeira vez".
Então vamos aos comentários dos livros de Thalita e de como eu encaro a literatura dela para o público infanto juvenil.
Por mais que Thalita escreva para adolescente, a escrita da autora em "Fala sério, Mãe!" é quase infantil. Diálogos malfeitos e forçados, com piadas exageradas.
Mas não se engane, o livro tem seu valor!
Para uma adolescente que irá se identificar, se interessar por livros é ótimo, o propósito é esse.
A parte dos exageros pode ter sido proposital com o cunho cômico ou, para mais uma vez proporcionar uma identificação com leitoras, pré adolescentes e adolescentes.
Comigo não funcionou. E não digo porque li agora aos meus 21 anos, não, digo porque aos 13 ou 14 tentei ler e achei um saco. Mas eu tinha algumas amigas que gostaram, então "tá valendo".
Eu não tinha muita bagarem de leitura e nem acho que hoje em dia tenha, mas na época eu me divertia com Pedro Bandeira e JK Rowling então naquela época eu já tinha um parâmetro de comparação.
Já em "Era uma vez minha primeira vez" a escrita melhora um pouco apesar de achar os diálogos ainda um pouco engessados, ainda sim sendo o fraco da autora, mas vemos sim uma evolução na construção da história, umas piadas mais inteligentes e construções mais inteligentes de enredo. Nesse livro temos 6 contos, de 6 meninas contando como foram suas primeiras vezes, amigas mas muito diferentes entre si, Thalita constrói uma história e seis personagens com as quais qualquer menina pode se identifica, tanto fisicamente, quanto por personalidade, ou penas neuras vividas, ainda mais nessa fase da vida e nesse acontecimento que ainda é, e acho que vai continuar sendo por um bom tempo, o marco na vida e um drama na adolescência de qualquer menina. Gostei bastante.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

A senhora da Magia - As brumas de Avalon 1

A dama da Fantasia, Marion Zimmer Bradley, e as brumas de Avalon, as lendas de Arthur cruzaram comigo principalmente quando comecei a ver os vídeos no YouTube, principalmente no canal da minha diva, Tatiana Feltrin, que ama o tema, a autora e a obra.

Finalmente li o primeiro livro da quadrilogia nas férias, e tenho alguns comentários que venho aqui nesse meu cantinho compartilhar com quem se interessar.

A senhora da Magia história contada a partir do ponto de vista da Morgana, irmã mais velha do Rei Arthur, a mãe dele, Igraine e de sua tia Viviane.

Esse livro conta os fatos que antecederam o nascimento do Rei Arthur, e um pouco depois disso quando ele e Morgana já são jovens adultos.

A narrativa detalhada de Bradley não foi um ônus para o livro, a parte descritiva e os pensamentos e emoções das personagens são retratados de maneira minuciosa e tocante, nos fazendo sentir tudo o que as personagens estão passando e sentir: pena, raiva, compaixão , alegria. Humaniza essas mulheres com as quais você pode se identificar ou não. Apesar de eu ter demorado para ler esse livro não deixei de gostar por causa disso. Existiam momentos, claro, que eu queria apenas virar páginas e saber o que ia acontecer quando terminasse a aquela cena, mas, para mim pelo menos, esse livro tem uma narrativa que pede uma leitura mais lenta, e não me forcei, deixei o meu tempo e o do livro acontecerem e deu muito certo.

Há cenas de ação que são as partes de narrativa mais rápidas, mas em sua maioria ele é uma descrição feita pelas personagens. Uma história sensível permeada de magia por todos os lados, uma aura de que tudo pode acontecer sempre existe quando Viviane e o mago Merlin estão presentes na cena.

Livro 4 estrelas

Acompanhe os vídeos no meu canal do Youtube
https://www.youtube.com/user/CavalcanteDayane/

Me adicione no Skoob
http://www.skoob.com.br/usuario/791900-daay

Paga comprar As Brumas de Avalon

38,16 - Submarino (12/09/2014)

Mas aguarde esse "box" está sempre em promoção, é só olhar que você compra ele pela metade desse preço.



Tag dos 50%

Olá pessoas, demorei para voltar por motivos de final de semestre, e é exatamente por isso que eu estou de volta vou fazer essa Tag para fal...